instagram facebook spotify

Como se tudo fosse fácil


por Ana Soares*

Como se tudo fosse fácil… Nem fácil, nem díficil … são caminhos mais ou menos desafiantes, são escolhas e consequências, ação e reação! Ao encarar esta dualidade, as dores de crescimento são  perspetivadas de outra forma. E estou muito satisfeita por agora! Procuro rodear-me de pessoas que querem este registo de construção e evitam a reclamação em favor da ação positiva.

Durante muitos anos vivenciei o que se passa nos bairros sociais, um mundo cruel, vi cadáveres de seres humanos e animais que sem dramas permaneciam nas ruas, até que alguém se lembrasse deles, vi agressões com consentimento de todos, e nas minhas investidas consegui perceber que a minha ação apenas servia para quem já pensava da mesma forma.

Aprendi que respeitar-me implica respeitar o outro também. Tarefa àrdua e continua.

Queria muito que todos me ouvissem, seguissem o que eu achava mais lógico e óbvio, uma só verdade, a que eu conseguia ver, ingenuidade a minha, querer justiça humana, se ela é feita pelos homens também.

Muitos agradeceram a minha paciência e a minha doação, e me retornaram o que conquistaram num gesto de gratidão, que foi reciproca. Alguns dos jovens que viviam em familias destruturadas quiseram quebrar com o ciclo comportamental e hoje têm um futuro diferente. “Os meus pais continuam iguais, eu não quero isso para mim”. Muitas mulheres retomaram a sua vida sem submissão ao sofrimento e lamentam não terem agido mais cedo. “A Doutora bem me avisou!” .

Hoje, cheguei à conclusão que ao disponibilizar-me, ao expôr-me às adversidades aprendi o dobro. E que ao querer mudar o outro, nada fiz, pois quando o outro assume as rédeas da sua vida, ele segue o seu próprio caminho.

Aprendi que posso errar e os outros também, um direito assistido a todos os  que querem aprender e muito pouco tolerável na sociedade atual.

Ana-Soares

Lembro de algumas partilhas e vivências que me marcaram. Um professor que, tinha eu ainda tenra idade profissional, me disse “um dia vais me dar razão”, só agora percebi passado 20 anos. Percebi também que, não só posso não ter a razão, como a experiência de vida, é uma forma de sabedoria pela vivência, e não podemos viver pelos outros.

Podemos mostrar o caminho, mas não o poderemos fazer pelo outro.

Aprendi que posso partilhar o que sinto, o que penso e o que faço, passar experiência, depois cabe ao outro decidir as suas próprias experiências.

Aos 38 anos, com 15 anos de experiência profissional, enquanto assistente social, decidi mudar de profissão. Uma profissão linda, mas deixou de fazer sentido para os meus valores. Encontrei um novo porto, como empreendedora do DeROSE Method.

O Método DeROSE (designado acima como DeROSE Method) é uma proposta de qualidade de vida e alta performance. Escolher a  Escola Eduardo Cirilo,  foi um  desafio de reeducação comportamental, aceitar a mudança e abandonar a resistência, estar mais consciente e lúcida para evitar surpresas. Usar as técnicas e conceitos no sentido de obter uma melhor performance nos diferentes contextos de vida, familiar, profissional, intra e interpessoal. A nossa missão é bem explicita “Potencializar as capacidades do indivíduo na conquista das suas metas através do Método DeROSE.

Iniciei a prática em 2004, altura em que inicie um processo interno de consciência e liberdade, que me induz a um trabalho de aprimoramento diário e de relação intra e interpessoal riquíssima. Passei ainda dar mais valor à vida e ao que rodeia, e acima de tudo aceitar o momento atual e entusiasmar me com o caminho que percorri, percorro e vou percorrer.

Por vezes precisamos de coragem e ação efetiva para mudar de percurso e, é verdade, a zona de conforto bloqueia a nossa evolução, mas muitos a preferem.

A verdade, é que me divirto muito comigo mesma e isso faz com que a vida me sorria. Nem sempre os resultados dos nossos, pensamentos, sentimentos e ações surgem de imediato, por vezes estão em estado de maturação, é preciso ter paciência .

Eu aprendo com todos, e quem quiser aprende comigo, é uma questão de disponibilidade, pois nem sempre consigo permanecer recetiva.

Desde sempre o meu comportamento se assumiu como salvadora do mundo, das injustiças dos mais desprotegidos, fiz voluntariado e lidei com as dificuldades de pessoas com deficiência, idosos etc. Aprendi com o taxista, com o professor, com o médico e com o mendigo, o lavador de vidros e o Sr Ministro. Vejo o mundo de diferentes perspetivas, que nem sempre é a minha, mas acredito que existem outras tão válidas quanto as minhas. Mas as minhas são as melhores por agora.

Sou apaixonada pelo crescimento , das plantas, dos animais e das pessoas, cada fase é entusiasmante. O resultado tem um fim em si mesmo e inicia por retirar o máximo prazer de cada momento, sem colecionar louvores deliciamo-nos com a convivência e a aprendizagem, a grande viagem coletora das ferramentas para o auto-conhecimento. Essas eu encontrei no DeROSE Method, cada um encontra as suas.

Quero limar minhas arestas e servir de espelho a outros com minhas virtudes e imperfeições, e dessa forma entusiasmar todos a construir a melhor de si mesmo . O mundo será muito melhor se cada um cuidar e nutrir o seu “canteiro”.


Ana Soares é atualmente empreendedora do DeRose Method.

 

Tweet about this on TwitterShare on Facebook